menu

guia do boleiro

busca


Testamos a chuteira Adidas Predator, um dos grandes clássicos da marca

08h25 24/09/2015

A chuteira Adidas Predator, modelo mais tradicional da marca alemã, é o último modelo extindo pela Adidas a passar pela avaliação do Guia do Boleiro, após já termos testado a F50 Adizero, a Adipure 11Pro e a Nitrocharge. Esses quatro silos foram descontinuados pela empresa para a entrada da Ace, X e Messi. Lançada em 1994, a chuteira fez história ao ser usada por grandes craques da história do futebol, como Zinedine Zidane, David Beckham, Kaká, Steven Gerrard e Xavi e, mais recentemente, nomes como Xabi Alonso, Mesut Özil, Di María, Fernando Torres e Oscar.

Como a lista do primeiro parágrafo deixa claro (com algumas exceções), a Predator sempre foi uma chuteira produzida pensando no jogador de meio de campo, especialmente aqueles atletas clássicos pelos quais a bola passa em quase todas as jogadas de transição da defesa para o ataque. Assim, os principais objetivos da Adidas nesse modelo era fornecer conforto aliado à maior precisão possível para o passe. Além da avaliação, o vídeo do teste mostra também a camisa feita para o Guia do Boleiro na ferramenta Netshoes Uniforme Full ID.

Pesando cerca de 230 gramas, a Predator fica um pouco acima do peso das chuteiras mais leves do mercado, como a F50 da própria Adidas, a Mercurial Vapor da Nike e a EvoSpeed da Puma. Todos esses modelos, no entanto, são indicados para jogadores de velocidade. Entre as chuteiras criadas para meio campistas, a Predator aparece como uma das mais leves disponíveis no mercado. Seu cabedal é feito em couro sintético com uma tecnologia chamada Hybridtouch, que deixa o material mais macio.

{Para comprar a chuteira Adidas Predator Instinct, clique aqui}

Entre as tecnologias que permitem à Adidas Predator oferecer o desempenho desejado pelos meias, um dos principais itens são as chamadas "Zonas Letais", pequenos pontos do cabedal reforçados por um material emborrachado que aumenta a aderência no contato com a bola e, consequentemente, melhoram tanto o domínio como o toque de lado ou o lançamento em profundidade. Conforme podemos notar no design da sola, a Predator Samba é compatível com o dispositivo de performance em campo chamado miCoach.

A versão da Predator utilizada pelo Guia do Boleiro neste teste foi a denominada Predator LZ TRX FG, pertencente à coleção "Samba Pack", com a combinação de cores lançada pouco antes da Copa do Mundo de 2014 tendo o rosa como cor principal, cadarços verdes e detalhes em branco. Embora tenha sido aposentado, o modelo ainda pode ser encontrado em lojas de equipamentos esportivos, inclusive com bons descontos em relação ao preço original da época de lançamento.

Agora no Al-Sadd, Xavi ignora revolução Adidas e segue usando Predator

Juntamente com as chuteiras F50 Adizero, Adipure 11Pro e Nitrocharge, a Predator foi descontinuada pela Adidas em junho deste ano. A partir da final da Liga dos Campeões 2015-2016, os quatro modelos deram lugar às novas chuteiras Adidas X 15, Adidas Messi 15 e Adidas Ace 15, que se torna a sucessora da Predator.

Caimento/conforto - 8
Mesmo sendo uma chuteira mais parruda e encorpada, a Predator vai bem no caimento e no conforto. O cabedal dela feito em couro sintético é macio e você pode “entortar” a chuteira na mão em vários sentidos para notar como ela é maleável.

Estabilidade - 9
Muito boa na questão da estabilidade. O conjunto de sola em TPU, palmilha, cabedal e cadarço na lateral torna o seu pé bem firme na utilização da Predator. A disposição das travas em formato triangular dá uma firmeza em campo e liberdade para rotacionar.

Leveza - 8
Com 230 gramas, ela tem um ótimo peso, quase próximo às chuteiras de velocidade. Na corrida e na movimentação, podemos notar que ela facilita o trabalho do atleta.

Design - 7,5
O design da Predator sempre combinou com esse estilo de chuteira letal e parruda. Essa edição em particular, a Samba, veio nessa cor em rosa, mas a história da Predator sempre veio com a bela combinação do preto e detalhes branco e vermelho.

Molhada - 9
Ela “manda bem” no molhado. A combinação do cabedal em couro sintético com o cadarço e fecho firmes proporciona uma resistência grande para entrada de água. Demorou para encharcar, ou seja, se o gramado estiver molhado, ela será uma das últimas a sentir esse efeito.

Entrega do conceito - 9,5
A Predator tem mais de 20 anos de história. Zidane, Beckham, Xavi, Kaká e muitos outros brilharam com esse modelo no pé. Sempre foi um chuteira com esse conceito de colocar uma pitada de ousadia no clássico, uma combinação de sucesso de duas décadas.


Confira as ofertas da loja Futfanatics


Versão Desktop