menu

guia do boleiro

busca


Chinesa Peak começa a vestir Brasil nas Olimpíadas e substitui Nike

17h41 05/08/2017

A marca chinesa Peak será a nova fornecedora de uniformes do Brasil nas Olimpíadas de 2020, em Tóquio. A informação foi trazida pelo site Máquina do Esporte. O Comitê Olímpico Brasileiro fechou contrato com a Peak para produzir os uniformes da seleção brasileira nos esportes olímpicos, o que poderia incluir a seleção brasileira olímpica de futebol .

Como nos lembrou um leitor, muitos países acabam travando um duelo entre as federações de futebol e as federações olímpicas, que na maioria das vezes têm patrocinadores e fornecedores de uniformes diferentes. Portanto, resta aguardar se a seleção olímpica de futebol em Tóquio será vestida pela Peak ou pela fornecedora de uniformes da CBF, atualmente a Nike. 

Nas Olimpíadas do Rio 2016, por exemplo, o saltador francês Renaud Lavillenie, cuja imagem dele chorando pelo vice ao lado do campeão brasileiro Thiago Braz, trazia um uniforme de performance da Asics e foi ao pódio de Le Coq Sportif. Enquanto isso, a seleção francesa de futebol jogava de Nike

Com a entrada da chinesa Peak no COB, a Nike interromperia o ciclo olímpico com o Brasil, já que a marca estadunidense foi quem vestiu o Brasil nas Olimpíadas de 2016 e vem sendo assim desde 2012. A Peak seria anunciada perto dos Jogos de 2020.

A chinesa Peak veste outras equipes nacionais como a Ucrânia, a Nova Zelândia, a Eslovênia, Egito e Nigéria, além de alguns times patrocinados pela marca chinesa.

Em junho, a revista Veja afirmou que a marca chinesa 361° queria começar a vestir a seleção principal do Brasil. Rumor ou não, essas movimentações mostram que o esporte e investimento na China não para de crescer.




Versão Desktop